Recursos

10 mudanças fáceis para reduzir o plástico no próximo ano!

Quando comecei a fazer mudanças na minha vida para ter hábitos mais sustentáveis, uma das coisas que me atrofiou, ao início, foi consultar blogues (americanos, basicamente) de pessoas que já estavam num “nível” muito avançado. Isso deixava-me frustrada, parecia que eu nunca ia passar do “um bocadinho menos mau”. Com o tempo percebi que o que importa é começar, seja por coisas pequenas, ou de forma radical (não aconselho, normalmente não corre bem). Por isso, e por saber que parte das pessoas, com quem partilho a minha experiência, ainda não são nerds do desperdício como eu, decidi juntar 10 coisas simples, fáceis de mudar para reduzir o consumo de plástico individual. Alguns de vocês, provavelmente, já fazem isto tudo, outros algumas coisas, mas a intenção desta lista é dar uma ajuda a quem quer começar por algum lado, mas está só a adiar e acaba por não mudar nada. Lembrem-se, evitar uma garrafa de água por ano é pouco (e está longe de ser o ideal) mas é melhor do que não a evitar. Se todas as pessoas do mundo evitarem uma garrafa por ano, são menos 7,7 bilhões de garrafas. Aconselho sempre a pensarem nas vossas mudanças desta forma (multiplicando pelo número de vezes por ano, pelo número de pessoas no mundo), para terem sempre em mente que pouco é mais que nada!

Aqui ficam 10 coisas que acho simples de mudar e que, tal como referi, multiplicando por todos ou pela quantidade de vezes que as consumimos, fazem diferença! Vou deixar por ordem das mais simples (só mudar os objectos) para as que exigem um bocadinho de disciplina (mudar hábitos).

10 mudanças fáceis para reduzir o consumo de plástico:

  1. Escova de dentes de madeira | Normalmente encontram-se à venda em bambu, mas também existem marcas a utilizar matérias-primas europeias. É importante que só faças esta mudança, quando a tua escova já não esteja boa para usar. É muito mais sustentável continuar a usar uma escova de dentes de plástico, até já não dar mais, do que descarta-la só para comprar uma de madeira. Eu, actualmente, uso uma de plástico que encontrei no meu quarto em casa dos meus pais (devia ser de viagem, ou assim, manias que eu tinha em tempos). Já expliquei algumas vezes no instagram como faço para desinfectar a escova, mas para quem nunca viu é simples: encho um copo de shot com água oxigenada e deixo a escova lá dentro de um dia para o outro – deve ser feito 1x por semana, eu como sou thuglife só faço 1x por mês quando me lembro.
  2. Cotonetes de papel/bambo ou reutilizável | Para mim, o ideal são os reutilizáveis (os que conheço são, ou de madeira, chamam-se oriculi, encontras em lojas com produtos sustentáveis e os de inox, à venda em farmácias, chamam-se limpadores de ouvidos). Hoje em dia, também já existem, em vários locais, cotonetes com o pauzinho em madeira ou papel (para maquilhagem têm de ser estes).
  3. Sabonete, em vez de gel de banho | O gel de banho vem em embalagens de plástico e, para além disso, tem um custo de transporte mais elevado (é basicamente um sabonete misturado com água). O sabonete é concentrado e dura muito tempo se for bem guardado (nada de o deixar cheio de água, tem de ficar o mais seco possível). Em mercados, encontras artesanais, sem embalagens e substâncias que não considero boas, mas se estás no início, podes começar pelos típicos portugueses, que há em qualquer mercearia, embalados em cartão, quase todos. Mesmo que só encontres embalados em plástico, é menos plástico que uma embalagem de gel de banho (e dura mais tempo). Se não te conseguires adaptar ao formato sólido, podes ralar e levar ao lume com água até derreter, deixar repousar e no dia seguinte acrescentar mais água se necessário.
  4. Pinça, filtro, passador, para o chá | As saquetas de chá, normalmente, vêm embaladas em plástico, dentro de uma caixa de cartão embalada em plástico e, de acordo com este estudo a própria saqueta contém plástico e liberta microplástico quando entra em contacto com a água a ferver. Para além disso, o mundo do chá a granel é incrível. Há muita escolha, com muita qualidade. Se tiveres espaço e vontade podes plantar algumas ervas para infusão (a nossa família tem e fornece-nos lúcia-lima, hortelã e erva-príncipe).
  5. Garrafa de água reutilizável | Esta foi a minha primeira grande mudança e falo muitas vezes dela, pois consumia água engarrafada diariamente, então (multiplicando) senti logo que o impacto era grande! Não é preciso comprares uma garrafa específica, podes reutilizar uma garrafa de vidro, um frasco, qualquer coisa que dê para transportar água. Durante muito tempo, usei uma garrafa de compal. Só tenho uma garrafa de inox, talvez, há 2 anos (para viajar são as minhas preferidas). Se não gostas de água da torneira (eu já fui essa pessoa lol) tenta habituar-te… Há algumas dicas que, ao início usava, para melhorar o sabor: deixar, de um dia para o outro, num jarro tapado com um prato, pôr uma rodela/raspa de limão, ferver. Podes sempre comprar um filtro, há várias raças: filtro de carvão, aparelho para por na torneira, jarros etc.
  6. Copo reutilizável para levar | Andar sempre com um copo ou frasco para evitar copos descartáveis (sejam de café, de água, sumo, o que for). Uma boa forma é reutilizar um frasco e andar com ele dentro de uma meia velha para proteger dentro da mala e evitar queimaduras com bebidas quentes. Existem também várias opções no mercado de copos com tampa (mais prático para transportar bebidas, e pôr na mala fechado, se não conseguirmos lavar logo). Eu não tenho nenhum desses porque acho que não preciso, eventualmente, usaria um que fosse térmico…
  7. kit de talheres | Seja para evitar a colher de café descartável, seja para comer em centros comerciais, dá sempre jeito ter uns talheres pequenos para evitar descartáveis. Na foto, estão talheres cá de casa de sobremesa, também tenho uns de plástico que herdei dos meus sobrinhos (uso mais para viajar, como podem ver aqui). Há também uns lindinhos de bambu à venda (se realmente precisares).
  8. Saco reutilizável | Este é um básico, já todos sabemos, mas o comportamento ainda não está automatizado em todos. Esforça-te. Estar sempre a comprar sacos reutilizáveis e a usá-los como descartáveis é a mesma coisa que não mudar nada.
  9. Sacos para a fruta e legumes | Se já passaste o nível saco para compras no geral, este é o seguinte (ou melhor, se conseguires, faz logo tudo). Aqueles sacos da fruta, que quase toda a gente usa para o lixo da casa de banho, podem ser evitados. Se não os conseguires evitar leva-os na próxima compra e reutiliza. Idealmente, arranja uns de pano e usa-os sempre! O lixo da casa de banho pode ser evitado, mas para quem não consegue evitar pode simplesmente usar o balde, sem saco.
  10. Recusar | Esta é uma das maiores mudanças que podes fazer para reduzir o plástico (e não só) que consomes. Simplesmente dizer “Não, obrigada. Não preciso”. Seja aquele saco fixe que ainda não se paga, a caneta com publicidade, as embalagens de plástico que os comerciantes podem reutilizar, há muita coisa que aceitamos porque estamos em piloto automático e, na verdade, nem usamos. Basta aprender a estar atento, presente.

Agora um extra para pessoas que menstruam e ainda não usam: tentem o COPO MENSTRUAL. Eventualmente faço uma publicação sobre isso. Até lá, pensem nisso, ou, melhor, experimentem.

2 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *