Alimentação e receitas

Bolachas de casca de laranja

Frasco reutilizado para guardar as bolachinhas.

Há uns dias, chegou cá a casa um caixote cheio de laranjas, vindo da casa da avó panda. Às vezes, deixo no frigorífico e vamos comendo (duram muito tempo, mesmo). Mas não gosto de laranjas muito frias, especialmente, com as temperaturas que têm estado, nos últimos dias. O que acaba por acontecer é que, embora não se estraguem, ficam muito tempo armazenadas até serem consumidas porque, muitas vezes, esqueço-me de as tirar do frigorífico para comer mais tarde. Por este motivo, decidi fazer usá-las de várias formas e, quando terminarem, publicar uma compilação de ideias para consumir laranjas. Esta é a primeira receita que fiz.

Estas bolachas, como grande parte das receitas que partilho aqui (com as devidas ligações para os autores), é uma adaptação ao meu gosto, necessidades e disponibilidade de ingredientes de alguma receita já criada. Até porque se me ponho a cozinhar sem uma linha condutora, geralmente, a minha criatividade não conhece limites e corre mal (LOL). A receita original é esta receita do blog Criar Crescer Comer.

Ingredientes:

  • 1 + 1/2 chávena de flocos de aveia
  • Sumo de 1 laranja
  • Raspa de 2 laranjas
  • 3 colheres de óleo de coco
  • 1 c.café de bicarbonato de sódio
  • 10 figos secos

Como fazer: Deixar os figos (tiro os pézinhos, o mais rente possível, para não desperdiçar) de molho 1/2 horas em água fria ou 10 min em água quente para amolecerem. Triturar a aveia até ficar em farinha e, em seguida, juntar os restantes ingredientes e misturar em velocidade alta/turbo até ficar uma massa homogénea e maleável. Moldar as bolachas a gosto (fiz bolinhas pequenas e achatei com a colher). Levar ao forno pré-aquecido a 180/190º durante 20/30 min (depende do forno).

Fiz na bimby, se o teu processador tiver pouca potência, é melhor ir juntando os ingredientes aos poucos.

Não ralei a laranja porque o meu ralador é muito fraco e irritei-me. Tirei a casca com cuidado para não retirar muita parte branca (é mais amarga do que a parte laranja) e juntei as cascas cortadas aos bocados.

A receita original leva tâmaras, mas evito usar: porquê? Porque vêm de longe. Na minha situação específica, não faz sentido usá-las, regularmente. Fará sentido, consumi-las nos locais onde são produzidas/típicas. Cá, temos figos (fáceis de encontrar à venda a granel), que, na maioria das receitas, podem ser usados em vez de tâmaras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *