Impacto dos eletrónicos 3
Recursos

Impacto dos eletrónicos (parte 3): o que posso fazer? O que está a melhorar?

Depois dos últimos artigos sobre este tema, já todos percebemos que os aparelhos eletrónicos são produtos que têm um enorme (tipo, MESMO ENORME) impacto no planeta: quer seja na produção, quer seja no fim de vida. Sem falar do período de utilização que, embora em muitos casos seja menor que o impacto da produção/fim de vida, também deve ser tido em conta.

Então, mas se já temos noção do problema, o que queremos agora? Soluções! Bem, na verdade, ainda não existe uma solução propriamente dita, mas existem várias coisas que TODOS PODEMOS FAZER  e muitas pessoas a trabalharem para mudar este cenário. 

Primeiro vou falar sobre as coisas que todos podemos fazer para reduzir o impacto dos eletrónico e onde colocar o lixo eletrónico. E depois, do que está a mudar e alguns exemplos de empresas que estão a tentar melhorar.

Impacto dos eletrónicos: o que posso fazer?

Nesta área, como em tantas outras, devemos, enquanto consumidores, tomar decisões mais conscientes e sustentáveis (dentro do possível):

  • Comprar produtos de qualidade e duráveis – Que permitam atualizações. Idealmente, comprar produtos com produção mais sustentável, mas depois de muita pesquisa, descobri que, ao contrário da moda e de outras industrias, na área da eletrónica não podemos propriamente falar de empresas sustentáveis e éticas. Existem algumas excepções, como a Fairphone, que falarei em seguida, mas são mesmo isso excepções! Na maioria dos casos, não existe oferta sustentável.
  • USAR os aparelhos que temos – não mudar só porque é “moda”, se não PRECISAMOS. MUITO IMPORTANTE.
  • Estimar os aparelhos que temos – E quando já não servirem para nós, por algum motivo, mas ainda estiverem bons, vendê-los em segunda mão (ou dar a alguém que os use).
  • Privilegiar marcas com programas de reciclagem e que utilizem materiais reciclados;
  • Comprar em segunda mão/recondicionados – sempre que possível, falo de opões neste artigo, onde tens uma lista de lojas.
  • Questionar as marcas, enviar email, mensagens nas redes sociais, lembrar que queremos mudanças. Pedir transparência.
  • Votar em decisores políticos que defendam mudanças, legislação, etc nesta área.
  • Colaborar com as empresas que estão a tentar mudar. Por exemplo, quando há recolha de produtos em fim de vida, para reutilização/reciclagem, por parte do produtor, cumprir a nossa parte (entregar os produtos).
  • Descartar corretamente. MUITO IMPORTANTE. E, descartar corretamente, é descartar nos locais adequados. Entregar a amigos que desmantelam ou levam para ferro velho, pode ter muito boas intenções, mas não é o mais adequado! A reciclagem informal é MUITO menos eficiente e pode não haver qualquer cuidado com componentes tóxicos (principalmente, por falta de conhecimento).
Periodo de utilização:

Não falei de coisas que podemos fazer durante a utilização, porque não me foquei nisso quando fiz esta pesquisa. Talvez venha a ser tema de outro artigo daqui a uns tempos. Agora o meu cérebro precisa de uma pausa nos eletrónicos lol :). Mas, é importante fazeres o que conseguires para diminuir o consumo de energia durante a utilização (atenção ao stand by!).

Onde descartar lixo eletrónico em Portugal?

Recentemente, num estudo sobre os hábitos dos portugueses, em relação ao lixo eletrónico, 33.8% dos inquiridos, respondeu que não encaminha os aparelhos para os locais adequados. Ainda que, de acordo com o mesmo estudo, a percentagem que afirma descartar corretamente o lixo eletrónico seja elevada, ainda há muitos que não o fazem. O principal motivo é acharem que “ainda pode dar jeito” (quem nunca lol). 

Temos de ser realistas: se não vamos usar os aparelhos, eles não estão bons para vender ou dar a quem use e não os tencionamos reparar (ou nem dá), ESTAMOS A APRISIONAR RECURSOS! E a manter componentes tóxicos em nossa casa, desnecessariamente…. por isso, toca a colocar tudo nos locais adequados !! E contra mim falo lol.

Como saber onde entregar lixo eletrónico na tua zona:

E ainda: se comprares um aparelho eletrónico novo, podes devolver o antigo (do mesmo género) na loja onde comprarem.

Impacto dos eletrónicos: o que está a ser feito?

Produção:

Com a pressão, tanto dos consumidores como dos governos, algumas marcas têm-se comprometido a tornar os seus produtos mais circulares, abastecer a cadeia de fornecimento com energias renováveis, etc. Acredito que isto só será possível quando a industria for mais TRANSPARENTE. 

Nos últimos anos, tem existido um esforço para regular componentes perigosos, sendo que alguns foram proibidos na UE, como já foi referido nos artigos anteriores sobre este tema. 

Infelizmente, esta mudança é muito complexa e mais lenta do que seria ideal. Cada aparelho leva muitos componentes, a extracção de muitos deles é bastante poluente e/ou são extraídos em zonas de conflito. O esforço feito para melhorar tem de ser global e cooperado. Aconselho que vejas o site da Fairphone, uma empresa pioneira nesta área, onde podes perceber a complexidade que é tornar um telemóvel ético e sustentável (dentro do possível). 

 – Lixo eletrónico:

De acordo com o The Global E-Waste Monitor 2020, em Outubro de 2019, 78 países tinham regulamentações sobre lixo eletrónico, abrangendo 71% da população mundial. Este valores, embora signifiquem mudanças positivas, pois os números têm vindo a aumentar, não são, por si só, satisfatórios. 

Enquanto em alguns locais, como na Europa, a legislação é ambiciosa e incide sobre o número de novos aparelhos postos no mercado (o objectivo estipulado pela união europeia é de que 65% deste número seja recolhido para reciclagem), noutros locais a legislação, bem como infra-estruturas para a implementar, ainda é limitada. 

As políticas que incentivam a recuperação/ recondicionamento de aparelhos, antes de os reciclar, ainda são escassas. O foco tem sido recuperar materiais de aparelhos considerados lixo, sem realçar a importância de desenhar eletrónicos duráveis e reparáveis, que se mantenham em uso mais tempo, antes de serem desmantelados para reciclagem. 

Empresas que estão a mudar

Estava ansiosa para chegar a esta parte para falar, novamente lol, da FAIRPHONE! Vai ver o site deles! Têm lá muita informação interessante/fascinante! Não conheço mais nenhuma empresa tão avançada, no que respeita à sustentabilidade e ética, na área da eletrónica. No site, podes rastrear a produção do telemóvel!!!! Dá para perceber de onde vêm as matérias-primas, onde é montado, etc. São um exemplo de que é possível fazer melhor! Estão, nomeadamente, a testar um programa tipo “leasing” para telemóveis de forma a garantir a sua devolução! O youtube da marca , também é delicioso! Desculpem, eu sei, é mesmo coisa de nerd, mas fico bueee contente a falar desta empresa, dá-me esperança! SEM DÚVIDA, que se comprasse um telemóvel novo (em 1ª mão lol) seria desta marca! 

Outra solução muito interessante, é o aluguer (economia partilhada). A Grover aluga aparelhos eletrónicos na Alemanha e Bélgica. 

E as empresas mais conhecidas?

Empresas como Apple, Samsung, etc, têm melhorado ao longo nos anos, no entanto, ainda há MUITO para melhorar. Honestamente, nem sei se o próprio modelo de negócio não tem de sofrer grandes (ou gigantes) transformações (opinião muito pessoal que posso desenvolver noutra altura lol). Apesar disso, é de realçar que têm existido progressos. 

Se fores comprar novo, lê o relatório de sustentabilidade das empresas, para teres uma ideia do que estão a melhorar. Basta pesquisar o nome da empresa +relatório sustentabilidade (exemplo Samsung + relatório sustentabilidade) que é fácil chegar lá. Em empresas que não estejam em Portugal, pesquisa em inglês “Sustainability Report”.

Embora existam esforços na maioria das empresas, se tivermos em atenção a sua dimensão/vendas, as mudanças podem significar muito pouco. Mesmo tendo em conta que numa mega empresa, uma mini mudança já tem um grande impacto, é importante estares atento. Por vezes, as empresas publicitam o 1% que fazem bem, como se não fizessem os outro 99% mal lol. Lê sempre com um espírito crítico, para não seres vitima de greenwashing. Nenhuma empresa vai estar a realçar o que fazem mal. lol. Com isto não quero ser uma eco-hater (achei esta expressão adequada lol). Claro que é melhor mudar 1% do que nada, mas isso não as transforma, de um dia para o outro, em referências em sustentabilidade lol.

Fontes/Recomendações:

*Para além das referidas nos artigos anteriores (Impacto dos eletrónicos 1 e 2).

Para ler:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *